domingo, 1 de fevereiro de 2009

A Trilogia das Mulheres: A Seleção Sexual

Vimos no post anterior que nós homens fazemos tudo por uma mulher. Isso não quer dizer “casar” , fazemos tudo nem que seja por apenas uma noite. Quanto mais bela a mulher for, mais difícil será o acesso a ela.

Novamente, a seleção de quem estará em seus braços está com as fêmeas. A alcova dos homens está sempre disponível.

Escolher errado para elas é ter um filho e criá-lo sozinha, isso era difícil no Pleistoceno e é mais ainda nos dias de hoje.

Somos um dos animais com maior período de gestação e, sobretudo, um longo desenvolvimento pós-parto. Nossos filhos ao nascerem não passam de fetos ainda incompletamente formados. Os nossos sentidos não funcionam direito, não há ainda um relógio biológico entre dias e noites, não andamos, não falamos, não temos dentes, ou pêlos suficientes para nos proteger... somos completamente dependentes de nossas mães.

Pesamos em média três quilos e aumentamos rápido com o passar dos meses. A mãe deverá carregar seu filho frágil e ainda se alimentar bem, muito bem, por ela e por seu bebê.

Quando desgrudamos de nossas mães? Hoje em dia por volta dos 20 anos, em muitos casos a resposta é nunca.

Ter filhos é, portanto, complicado e dispendioso. Por isso, em nosso ambiente ancestral, onde não há o milagre biotecnológico dos anticoncepcionais e preservativos, os pais devem mostrar seu valor e compartilhar das responsabilidades pela sobrevivência de seus filhos.

Beleza sempre põe mesa e está vinculada aos sinais de saúde e fertilidade. Uma bela mulher possui um rosto simétrico, seios rígidos com mamilos rosados, cintura de pilão, bumbum firme e arrebitado. Uma bela mulher para a maioria dos homens é jovem e fértil!

Em grande parte, não importa seu grupo social, se é bela, há homens disponíveis o tempo todo. Não é por menos que as pesquisas genéticas sobre o povo brasileiro realizadas na UFMG indicaram que a mistura racial se deu entre homens brancos e mulheres negras, índias e mulatas. Mesmo que isso tenha sido favorecido pelo processo de colonização, o qual os homens vieram primeiro a este continente, mostra tão somente que não há barreira social para o instinto masculino por sexo.

Nossa fome sexual é notória!!!

As mulheres também desejam muito o sexo e sentem prazer igual, ou até maior que os homens devido ao seu aparelho reprodutor possuir mais inervações nervosas e terem orgasmos múltiplos.

Entretanto, mesmo que o sexo sirva também para solidificar relações humanas, esse “também” é porque ele prioritariamente caminha ao lado da reprodução.

Aí voltamos para o início deste post: os custos da reprodução são desiguais. As mulheres têm muito mais para investir em energia, tempo e estrutura de vida do que os homens.

Sou chato e perco a elegância do texto por ser sempre repetitivo: a alcova dos homens sempre está disponível.

Engraçado é ver os amigos falarem que estavam bêbados porque fizeram sexo com uma mulher "feia", mas se vangloriarem por “pegar” a mais bela do baile.

Claro, nós homens teremos tantas quanto possamos ter em nossas camas. Isso não implica que estamos selecionando uma mulher para matrimônio, nem mesmo namorar. Estamos à procura instintivamente por sexo e este é companheiro irmão da reprodução.

Elas selecionam os melhores homens a princípio por beleza, regras comportamentais e
status no grupo. Por exemplo, um rei será desejado acima de seus subalternos, entretanto, já foi demonstrado em pesquisas que basta um homem estar empenhado em conquistar seu espaço no seu grupo social, que elas passam a lhe admirar.

Guerreiros Aimori Yanomamis, empresários de sucesso, jogadores famosos, estrelas do rock’n’roll, não necessariamente belos, no sentido estrito da palavra (simetria, corpos saudáveis e outros atrativos). Cito o caso de Stephen Hawking que casou novamente após seu corpo degenerar por esclerose lateral amiotrófica. Sua segunda esposa, Elaine Mason, foi sua enfermeira, que passou a admirar aquele nobre homem... O mais famoso físico do mundo na atualidade.

Vejam bem a regra: mulheres belas e jovens podem ter o mundo masculino aos seus pés. Quando usam isso com sorte e frieza há os casos como a “Material Girl” Madonna, cuja trajetória de sucesso foi favorecida através do sexo com homens influentes.

Se uma mulher não possui a beleza e “corpo hipnótico”, é melhor não deixar de estudar e ter cuidado com nós homens. Estamos sempre à espreita por sexo, mas isso não quer dizer matrimônio, infelizmente até o reconhecimento da paternidade dá trabalho.

É algo tão grave e tantas mulheres e crianças sofreram, que hoje há leis de proteção dos direitos da maternidade e punição para os pais “fujões”.

As mulheres selecionam seus parceiros, elas não estão disponíveis para qualquer um. Chamamos de estupro o ato desesperado e violento de um homem por sexo (e filhos). Se uma mulher sedenta por sexo atacar um homem... dependendo da hora e local será prontamente correspondida!

Nos dois casos podemos citar filmes que exemplificam o terror do estupro como em “Questão de Honra”, ou a surpresa e descrédito de um homem que foi atacado por uma mulher belíssima em “Assédio Sexual”. Os dois filmes estrelados pela mesma atriz, Demi Moore, no papel de vítima no primeiro e vilã no segundo. Neste último, a recusa de Tom Sanders (Michael Douglas) para sua chefe sexy Meredith Johnson (Demi Moore) é como diriam meus amigos “só em filme mesmo”.

Para a infelicidade dos homens, as mulheres, assim como as fêmeas dos chimpanzés bonobos (
Pan paniscus) não possuem estro à amostra. Em outras palavras, o “cio” das mulheres é silencioso e só elas sentem quando estão no período fértil, com aquele calor e umidade entre as pernas.

Outros macacos não são assim, por exemplo nos chimpanzés
P. troglodytes quando em cio, as fêmeas apresentam um intumescimento da genitália e exalam um odor típico. O macho alfa faz a festa com as suas preferidas e deixa os outros machos que lhe apóiam na coalizão de poder terem acesso a outras fêmeas.

Nesse cenário, há sempre a possibilidade de um macho em posição inferior no grupo ficar sem uma fêmea. Velhos e adolescentes formam esse grupo. No primeiro caso logo morrem, no segundo, crescem em força e tomam o poder e as fêmeas no momento certo da nova eleição do macho alfa e seus apoiadores.

No célebre livro “O Macho Demoníaco” de Richard Wrangham e Dale Peterson (1998), o acesso às fêmeas, entre outros fatores, é decisivo na estrutura social dos grupos de chimpanzés. Entre
P. troglodytes há dimorfismo sexual acentuado, machos maiores, violentos e dominadores, as fêmeas estão ligadas à hierarquia, onde o macho alfa e seus apoiadores têm a preferência e até exclusividade de seus ventres.

Já nos
P. paniscus as fêmeas estão no centro da hierarquia do grupo (há um baixo dimorfismo sexual), o sexo é distribuído para todos e há paz generalizada. Sem contar que não há sinal visível do cio nas fêmeas. Os machos não sabem quando estão transando com uma fêmea fértil, daí que não possuem a certeza de que são os verdadeiros pais dos filhotes do grupo. Como as fêmeas transam com todos os machos, eles assumem a paternidade coletivamente.

Wrangham e Peterson (1998) descrevem que somos muito mais semelhantes aos
P. troglodytes do que aos P. paniscus, em relação à agressividade, organização social e tratamento das fêmeas.

A agressividade é inerente ao sexo masculino, mesmo que uma mulher possa matar, em média são os homens os autores das guerras e crimes mais hediondos.

Um homem sem uma mulher é revoltado e agressivo. Aí voltamos para o centro deste post, elas escolhem seus parceiros. Como você leu no post anterior, um homem produz em média 200 milhões de espermatozóides por dia. Se a regra simples fosse um espermatozóide para cada óvulo a ser fertilizado... não é preciso muitos homens para manter a espécie humana.

Os machos eleitos podem associar beleza masculina,
status e poder. São aqueles homens considerados “irresistíveis” pelas mulheres. Entretanto, esse conjunto de fatores não necessariamente precisa estar presente em um único homem para que ele seja escolhido por uma mulher.

As pesquisas mostram que o maior “charme” masculino está
status e poder. Estamos habituados em ver nos noticiários à luta das amantes de famosos pelo reconhecimento de seus filhos. Só para citar alguns casos de celebridades masculinas com filhos fora de seus casamentos: Pelé, Roberto Carlos, Fernando Henrique Cardoso, Fidel Castro entre tantos e tantos outros.

Através desses exemplos fiz questão de citar homens normais, sem a tal beleza dos modelos masculinos. Os homens citados são diferentes em cores de pele, etnias e grupos sociais distintos. Embora todos sejam famosos e possuam sua importância relativa para seus admiradores.

A face mais negra para nós homens em relação à seleção feminina é que o fator biológico da atratividade pode ser posto em ação algumas vezes. Por exemplo, uma mulher linda pode selecionar um homem por seu
status e posses, mas, sentir atração por outro mais belo e jovial. Robin Baker apresenta esse poder feminino no clássico livro Guerra de Esperma (1997).

Vimos no post anterior que homens podem ser enganados, não temos a mesma capacidade visual e cerebral para detectar mentiras como as mulheres. Estas, semelhantes às fêmeas de
P. paniscus, não possuem sinais facilmente detectáveis pelos homens de seu período fértil. Além da guerra de espermatozóides que evidencia nossa natureza uma mistura de poligamia e poliandria, Baker (1997) descreveu que as traições femininas estão correlacionadas com os períodos férteis.

Uma mulher pode ter o melhor marido, a melhor casa, o melhor carro. Algumas vezes, não possuem a melhor genética para seus filhos. Se devidamente seguras, elas podem buscar isso fora e trazer para seu ninho. Estima-se que no mínimo 10% dos filhos gerados são criados por homens que não são os pais verdadeiros. Todavia, esse número é baseado apenas em pesquisas feitas na Inglaterra, ele pode ser muito maior se analisado globalmente.

As pesquisas também mostram que na maioria das traições assumidas pelas mulheres, mais de 50% declararam que fizeram em vingança da traição de seus cônjuges, um toma lá da cá.

O problema da traição é que os homens muitas vezes detêm o poder econômico e, claro, são em média muito mais fortes e agressivos que as mulheres. Espancamentos e mortes das mulheres estão presentes em todo o mundo.

Esse não é apenas o único fator da violência contra as mulheres, mas faz parte dela. No Brasil finalmente foi reconhecida toda a fragilidade e desamparo feminino em um mundo de regras feitas pelos homens. Agora há a Lei Maria da Penha para punir e corrigir os esposos e amantes malfeitores.

As mulheres fazem as escolhas, foram dotadas pela seleção natural com todos os atributos para isso. É um caso de acertar, ter filhos saudáveis e recursos disponíveis, ou errar e enfrentar muitas dificuldades quando se está só, com pouco ou nenhum recurso.

Ser selecionado por uma mulher sempre atrairá a atenção das outras. Por isso, os bons maridos são bons partidos. Eles demonstram serem capazes de montar, manter família e possuírem recursos. As esposas gostam do desejo das outras por seus maridos, ao mesmo tempo em que combatem o assédio a eles pelas fêmeas mais jovens.

Nem todo homem possui esse privilégio... Lembro de quando era adolescente e fiquei enamorado pela menina mais linda do colégio. Já ela era apaixonada pelo colega mais velho e que ia para escola com um fusca. Nós homens aprendemos desde cedo que alguns são os populares, os “dotadões” e outros ficam lá, nos corredores morrendo de raiva deles.

Elas sabem o que estão fazendo, aos que comungam da raiva contra esses eleitos, nos resta cantar com os Ratos de Porão a música “O Dotadão Merece Morrer”:


O dotadão arrastou todas as garotas para a casa dele
O dotadão arrastou todas as garotas para fora do bar
Ei rapazes esse cara deve morrer...
deve morrer!
deve morrer!
deve morrer!
O dotadão arrastou todas as garotas para o carro dele
O dotadão arrastou todas as garotas para fora do bar
Ei rapazes esse cara deve morrer...
deve morrer!
deve morrer!
deve morrer!
Todo mundo enlouquece sem mulher (2x)
O dotadão arrastou todas as garotas para a praia dele
O dotadão arrastou todas as garotas para fora do bar
Ei rapazes esse cara deve morrer...deve morrer!
deve morrer!
deve morrer!
Todo mundo enlouquece sem mulher (2x)
O dotadão arrastou todas as garotas para a casa dele
O dotadão arrastou todas as garotas para fora do bar
Ei rapazes esse cara deve morrer!

O dotadão pode até levar todas as mulheres para a casa dele, mas foi antes de tudo selecionado por elas!

9 comentários:

www.lycurgo.org disse...

Grande W.,
O problema desses textos de índole científica que diferenciam homens de mulheres é a dúvida que fica quando pensamos: bem, será que este texto não tomaria rumo totalmente diferente se tivesse sido escrito por uma mulher?
Abs.,
Lycurgo

Waltécio disse...

Verdade, Lycurgo!

Isso já foi colocado por uma mulher, por exemplo, em relação ao mecanismo da Evolução.

Lynn Margulis e outras mulheres notórias acreditam que a visão de Charles Darwin de uma natureza de luta pela sobrevivência, adaptação do mais forte, "garras e dentes rubros de sangue" são frutos de uma visão masculina.

No caso de Charles Darwin, dizem elas, fruto de uma visão masculina e bem machista da era Vitoriana.

Para Lynn Margulis os animais e plantas até competem entre si por recursos, mas isso não é a forma com que evoluem. Na verdade, em grandes perigos (mudanças ambientais drásticas) o que vale é a cooperação. Os fatos que suportam essa hipótese é que animais são na verdade a soma de duas ou três criaturas numa só: um protozoário e duas bactérias (mitocôndrias e centro celular).

As plantas são quatro organismos que se fundiram em simbiose: um protozoário e três bactérias (mitocôndrias, centro celular e cloroplastos).

Está confirmado pela análise de DNA, mitocôndrias e cloroplastos são derivados de bactérias. Foram sim incorporados e vivem hoje simbioticamente, como uma só criatura.

Margulis é apontada como a mulher que defende uma visão feminina da evolução, contrapondo-se à masculina predominante.

Um livro pequeno e de fácil leitura é:

Margulis, L., 2001. O planeta simbiótico: uma nova perspectiva da evolução. Editora Rocco.

Mesmo assim, em meu último texto sobre esse assunto irei abordar toda a perplexidade masculina após descobrirmos todos esses dados sobre nossas fêmeas.

O arco ainda está para ser fechado.

Valeu o comentário!

Abs,

W.

Waltécio disse...

Por fim e só para lembrar, as pesquisas que servem de suporte para o texto são realizadas também por mulheres.

O que escrevi está em sintonia com o conhecimento atual sobre comportamento humano. Embora, devamos estudar mais.

Não deixa de Ler o que escreve uma mulher, Eliene Percília, no seguinte Blog:

http://ppramada.blogspot.com/2008/02/homens-x-mulheres.html

Falamos a mesma língua, porque lemos os mesmos livros.

Abs,

W.

Antonio disse...

Ae boca, quem tem mais sucesso reprodutivo o dotadao com 30 filhos de mulheres diferentes ou o cara semimonogamico com 4 filhos de uma mesma muie?

Darlan Reis disse...

Semimonogamico é boa...

hahahahaha

E aí, Waltécio, quem tem mais chance?

Waltécio disse...

Bom, Quick... primeiro essa hostória de "semi-monogâmico" é uma fantasia sua, ou covardia em não se assumir poligâmico... rsrsrs!!!

Claro, em termos apenas biológicos o "dotadão" é vitorioso.

Entretanto, seus filhos podem ser maltratados nos lares onde eles forem criados. Serão chamados de "bastardos", ou senão, terão uma vida difícil pela ausência de seu pai biológico.

Em minhas aulas deixo claro: "não ensino ninguém a ser um chimpanzé".

Muito pelo contrário, o conhecimento de nossa natureza animal é necessário para compreendermos nossos limites, capacidades, virtudes e defeitos. Isso nos torna mais humanos... e humanos também são seres sócio-culturais.

Depois do conhecimento... procure a paz e sabedoria para usá-lo.

Um homem com uma família estável, dentro dos padrões de seu grupo social tará menos problemas do que o "dotadão".

Eis a minha melhor resposta!!!

Abs,

W.

Anônimo disse...

Caro Macaco Alfa, mto intrutivo este seu post. Minha opinião é de q a tendência do comportamento sexual masculino humano é apresentar uma dinâmica POLINIZADORA, p o bem do FILO é claro e, infelizmente, p o mal do ONTO-FEMININO. Margulis é sensacional, não sei se vc já leu um livro dela intitulado O Q É SEXO?... http://tsistemica.blogspot.com/search/label/O%20QUE%20%C3%89%20SEXO%3F

Waltécio disse...

Obrigado pelo comentário e a dica de leitura... Já encomendei o livro!!!

Abraço,

Waltécio

Waltécio disse...

Um upgrade:

Em 2009 ninguém sabia, mas o filho da amante de FHC não era dele!

Eis a notícia:

http://noticias.bol.uol.com.br/brasil/2011/06/25/filho-de-reporter-da-globo-nao-e-de-fhc-revela-dna.jhtm

Segundo o exame de DNA, a amante do homem poderoso também tinha um amante!

FHC é um exemplo de homem com status, poderoso, inteligente... Mas nem tanto quanto uma mulher!!!

 
BlogBlogs.Com.Br