quinta-feira, 5 de março de 2009

Discriminados: Ateus


Para início de conversa, leiam as seguintes declarações:Sobre as mulheres
O feminismo não busca direitos iguais para as mulheres. É um movimento político socialista e anti-familiar que encoraja as mulheres a deixar seus maridos, matar suas crianças, praticar bruxaria, destruir o capitalismo e se tornarem lésbicas.” Pat Robertson – pastor pentecostal, advogado e ex-candidato à presidência da República dos Estados Unidos, 1992.

Sei que às mulheres dói ouvir isto, mas quando se casam, estão aceitando a liderança de um homem, seu marido. Cristo é a cabeça do lar e o homem é a cabeça da mulher. Assim são as coisas, ponto final.” Pat Robertson, 11 de Setembro de 1992


As mulheres têm bebês e os homens provêem a sua subsistência. Se isto não lhe agrada, discuta com Deus.” Phyllis Schlafly – executiva e ativista americana contra o feminismo.Sobre os homossexuais
Para onde irão vocês, homossexuais, quando nós vencermos? Não pode haver coexistência pacífica com homossexuais. No final, vocês todos vão curvar os joelhos diante de Jesus Cristo, quer vocês queiram, quer não.” Kevin Tebedo, diretor do “Colorado for Family Values”, 1993.Sobre os negros e a escravidão
O abolicionismo é uma odiosa pestilência infiel.” Bispo Stephen Elliott, da Geórgia, co-autor da carta pastoral do Concílio Geral da Igreja Protestante Anglicana Confederada, 01 de Novembro de 1862.

Não há nada na Bíblia proibindo a escravidão, apenas a organizando. Podemos concluir que ela não é imoral.” Reverendo Alexander Campbell.

É melhor ser escravo no Brasil e salvar sua alma que viver livre na África e perdê-la.” Sermão do Padre Antônio Vieira aos escravosSobre a tolerância religiosa
Tolerar igualmente todas as religiões… é o mesmo que ateísmo.” Papa Leão XIII, “Immortale Dei”.

Selecionei essas frases entre tantas outras que existem em blogs e sites na internet. Eu sou ateu por escolha, não por oposição a uma criatura suprema de amor humano (primata) e que cuida de forma antropomórfica do universo inteiro. Sou assim porque perdi minha fé em afirmações e dogmas metafísicos. Sou um típico cidadão do mundo que possui um pouco de educação e informação suficientes para só aceitar declarações e políticas baseadas em fatos comprovados e hipóteses científicas.

Sei que reconhecer publicamente meu ceticismo traz consigo todo o ódio irracional de pessoas que se expressam como nas declarações acima. Então, antes de continuar quero deixar claro que minha postura não é de combate a uma religião específica, ou mesmo promover ataques a qualquer pessoa religiosa. Eu apenas não consigo acreditar. Sempre que tenho diálogos interessantes com amigos religiosos exponho para eles uma série de minhas dúvidas sobre a possibilidade de vida pós-morte que envolve as propriedades da matéria, conservação de energia, anatomia, fisiologia e comportamento humano e animal comparados. Nunca me respondem a perguntas tão simples como: por que tenho mamas, pelos e dentes iguais a qualquer outro mamífero? Por que sou tão animal(*)?

Claro, a resposta simples é que compartilho homologias com meus ancestrais, sou um primata humano, um produto biológico do processo da evolução dos seres vivos.


Isso não é uma crença, apenas fatos comprovados cientificamente.

Ao invés disso, na maioria das vezes, após o calor da discussão, desde a adolescência, escutei sempre no final uma repreensão, ou ameaça do tipo “você queimará no inferno eternamente”!!!

Gostaria de saber, por quê? Só fiz perguntas e queria apenas respostas para manter a minha fé inabalada.

Algumas pessoas nem tem percepção, nem compreendem o que significa dizer “eterno” (“sem fim”). Ameaçar outra pessoa a “queimar eternamente” é de um sadismo tão profundo, uma intolerância tal que deveria ser punido por lei, tal qual fazemos com quem discrimina pessoas por sexo, cor, ou etnia.


Sem respostas científicas, além da triste "condenação de minha alma", qualquer problema que eu tiver sempre falam: "é castigo e haverá mais ainda!" Quanto amor divino, não é?! Sim, eu já tive problemas de saúde e terei muitos outros. Câncer, doenças cardiovasculares, acidentes entre tantos outros perigos da vida são comuns para TODOS NÓS, ateístas e teístas. Se apenas fé bastasse não investiríamos bilhões em pesquisas para desenvolver novos fármacos e terapias para tratar de nossas dores.

Bem, como um brasileiro típico dos subúrbios, fui batizado na igreja católica, freqüentei algumas igrejas evangélicas, li sobre espiritismo, budismo, tornei-me deísta, panteísta, agnóstico até entender o ponto em que cheguei... eu “perdi minha religião”:<



Legal é saber que eu não estou sozinho! Segundo último censo mundial 2,5% população, ou seja, 162,5 milhões de pessoas se dizem ateístas. Número certo, ou aproximando que representa uma das mais discriminadas minorias humanas, equivalente ao tamanho de toda a população brasileira!




A maioria das pessoas que se identifica como ateísta se encontra em países europeus, dos quais em destaque está a França (com 33%) e a República Tcheca (com 59%). Nos países em desenvolvimento parece ser muito menor a ocorrência de ateus, tendo em vista, por exemplo, que na internet podemos encontrar textos que designam a América Latina como “a reserva espiritual do cristianismo”. Apesar disso, países como China, Coréia do Norte e Cuba possuem uma elevada percentagem de ateus.

Essas 162,5 milhões de pessoas não formam um grupo homogêneo, porque optar pela não existência de deuses (ou qualquer ser metafísico) possui os mais diferentes motivos. Concordo que para descobrir o porquê de uma pessoa optar pelo ateísmo o melhor a fazer é perguntar pessoalmente... ou ler seu Blog!

Além do mais, ateísmo não tem nada haver com atitudes “anti-religiões”, satanismo, ou mesmo falta de patriotismo. Isso mesmo, caros leitores, patriotismo! Segundo o ex-presidente dos Estados Unidos, George Bush (pai), ateus nem deveriam ser considerados cidadãos.

Em países onde estado e religião estão unidos, ateísmo é crime punido com a morte. Por exemplo, isso acontece no Irã, onde uma pessoa pode ser executada publicamente por ser ateísta.
Deixo claro que não é por você ser um teísta que se livrará da discriminação religiosa. Mesmo os cristãos que formam o maior grupo religioso, compreendem apenas cerca de 2,1 bilhões de pessoas. Há ainda 1,2 bilhões de islâmicos, 900 milhões de hindus, 330 milhões de budistas, etc. Ou seja, o mundo não é exclusivo de uma única crença metafísica.

O cristianismo por si só também é subdividido em mais de 3.000 igrejas com interpretações diferentes que entram em conflito umas com as outras. Cada uma delas acredita ter encontrado a verdade, julgando todas as contrárias equivocadas e merecedoras de uma estadia sem fim em meio às chamas do inferno. Apenas para citar um exemplo clássico, católicos e protestantes possuem interpretações, liturgias e rituais muito diferentes. Católicos e protestantes lutaram entre si várias vezes promovendo verdadeiros massacres como na Irlanda em seu Domingo Sangrento (30 de janeiro de 1972).


Acreditar em vida pós-morte, em seres metafísicos e ter experiências espirituais é transcultural. Está presente em todas as culturas humanas. Quando isso ocorre, meus caros leitores já sabem: é genético! Pesquisa após pesquisa sabemos hoje que os lóbulos temporais e parietais de nosso cérebro são as regiões formadas pelas complexas redes neurais responsáveis pelas experiências místicas. Estudaram de cristãos a budistas, reza a meditação, em ressonância magnética todos apresentaram o mesmo padrão de excitação dessas áreas em seus cérebros. É anatômico e fisiológico, genes estão por trás disso e estes, por sua vez, estão sempre sofrendo influência da seleção natural.

É a mesma conjugação de genética e meio social exemplificada de forma clássica na linguagem: todos os humanos estão programados geneticamente para falar, mas a língua que falam é aprendida através da cultura. Segundo sabemos hoje, o mesmo está para a crença em mundos e criaturas metafísicas. É por isso que humanos e deuses caminham juntos desde o Pleistoceno. Não há deuses sem humanos e vice-versa.

De onde veio isso e por quê?

Cientistas perguntaram essas questões e as respostas são quatro:

(1) Toda a função que ajude na melhoria de aptidão nos seres vivos é selecionada. Sabemos hoje que pessoas com fé possuem sistemas imunológicos mais eficientes e tem níveis de endorfinas aumentados em seus cérebros. Em ambientes sem nossa medicina moderna e a biotecnologia dos fármacos, qualquer vantagem corporal (isso inclui a comportamental) que nós tivéssemos seria fixada na população.

(2) Somos mamíferos sociais, vivemos em grupos com organização hierárquica. Nossos irmãos chimpanzés possuem machos e fêmeas alfa. No caso particular dos
Pan troglodytes é o macho que ocupa a função principal, já em P. paniscus é a fêmea. Mesmo que nossos ancestrais sejam uma mistura desses dois grupos, os P. paniscus parecem ser mais chimpanzés do tipo ‘P. troglodytes’ derivados. Dessa forma um ancestral comum tipo ‘P. troglodytes’ parece ser adequado para todas as espécies descendentes (incluindo nós humanos). Isso explicaria porque na esmagadora maioria das culturas pluri e monoteístas a figura mitológica central é masculina. De Zeus a Deus, parecemos representar homens centrais de grande poder, como os chimpanzés e seus machos alfa.

Da mesma forma que um chimpanzé beta não pode olhar na face do macho alfa, nos é proibido olhar a face de deus. Todos os sinais de submissão dos membros sob a liderança do macho alfa são similares a quando vamos ter com nossos deuses. Baixamos nossas cabeças, curvamo-nos, de joelhos, ou mesmo nos atiramos no chão, falamos em tom respeitoso, imploramos pelo seu amor, atenção, proteção, comida e que esteja do nosso lado contra nossos inimigos. Essas são funções do macho alfa em um grupo de chimpanzés. Ter uma hierarquia definida com um macho alfa central é tão forte nos primatas, que a passagem do poder, ou ausência de um macaco alfa, traz caos ao grupo até a escolha definitiva do novo líder.
(3) Uma outra característica emergente ligada à vida primata é que em nossa hierarquia social também inclui coalizões e lideranças ausentes, temporárias ou permanentes. Por exemplo, todos nós elegemos prefeitos, governadores e presidentes que podemos nunca ter contato, mas respeitamos e seguimos sua liderança em sua ausência física.

Sendo assim, criaturas metafísicas onipresentes que assumem o papel de líderes alfa de grupos de centenas, hoje em dia de bilhões de pessoas, são possíveis de existir como o resultado de uma propriedade emergente de nossa capacidade cognitiva.
(4) O cérebro humano é a máquina mais complexa e eficiente de mundos abstratos e ilusões já construída pela evolução. Nunca vemos todos os detalhes em nossa volta, tão pouco todo o espectro da luz. Ponto a ponto focalizado pelos nossos olhos levam determinada quantidade de informações que são interpretadas por nossas redes neurais. Reconstruímos realidades inteiras. Por exemplo, estenda sua mão direita à frente de seus olhos, depois feche um deles de cada vez, observe detalhadamente que você vê com cada olho uma mão em ângulos diferentes, são duas mãos, mas você enxerga apenas uma com os dois olhos abertos. Como é isso?! Abra seus dois olhos e ainda com a mão estendida olhe para um ponto em frente, mas não para mão. Note no canto de sua visão que há duas mãos flutuando, caso você fixe o olhar na sua mão agora... só aparecerá uma! Essa mão é uma terceira resultante da soma de informações de cada um de seus olhos, o cérebro reconstruiu a visão de sua mão.

Há um outro exemplo muito interessante... Imagine-se morto agora. Alguns segundos para você visualizar bem a cena e “tchan-tchan-tchan”: você não conseguiu!!! Quando fazemos essa tentativa, vemos nosso enterro, o caixão, as pessoas presentes... e nós nos vemos em uma perspectiva fora de nosso corpo. Quando somos desafiados a nos imaginar mortos não remontamos a uma perspectiva de visão dentro do caixão, tão pouco conseguimos imaginar o fechar de nossos olhos e o que acontece depois... O motivo? Nosso cérebro só pode imaginar coisas que ele experimentou, ele sempre esteve vivo, nunca conseguirá imaginar não existir... Você traduziria em palavras essa sensação da seguinte forma: “eu não sei como é estar morto, como posso imaginar?” É por isso que quando estamos sonhando, o cérebro sem o funcionamento dos olhos, sem informações eletromagnéticas diretas do ambiente, reconstrói mundos oníricos de puro delírio, onde nós nos vemos, como em uma perspectiva fora do corpo.

A soma dessas quatro respostas levou a proposição até de um novo ramo da neurociência: a NEUROTEOLOGIA EVOLUTIVA.
Nesse ponto vocês podem estar pensando no seguinte: se ter fé em figuras metafísicas é natural, então como explicar o ateísmo?

Ateísmo é uma escolha
a posteriori!!! Finalmente algo completamente cultural aqui neste Blog!!! Não é uma falha cerebral, é o questionamento e informação obtidos da experiência comum e estudos científicos (neurologia, etologia, psicologia, sociologia, antropologia, história e arqueologia). Por exemplo, sabemos hoje que a fé necessária para uma longevidade humana não necessariamente precisa ser em figuras metafísicas, podem ser ideais e causas coletivas. Gandhi inspirou meio bilhão de pessoas na Índia e juntos conseguiram por fim ao colonialismo britânico nesse país. Essa fé na luta por direitos e liberdade se expressa pelos mesmos mecanismos da fé abstrata.

Sabemos hoje que não é necessário adotarmos uma religião para que nossa sociedade comporte-se de forma ética e dentro dos padrões de moralidade cívica. Tanto que os países ocidentais democráticos assumiram uma postura laica, abarcando todas as religiões, ao mesmo tempo em que não assume nenhuma delas como oficial. Salve a República!!! Obrigado a todos nós por ela!!!

Uma revolução científica e biotecnológica já aconteceu em nossas vidas. Embora a maioria das pessoas no ocidente tenha fé em figuras metafísicas, recorre-se sempre à medicina (ciência) na busca da resolução de problemas de saúde. Não há resposta, tão pouco tratamento e medicação para todas as enfermidades infecciosas e genéticas de agora, pior nas que virão. Todavia, livramo-nos de muita, muita dor em apenas dois séculos de ciência como a conhecemos hoje. Realizamos milagres, mesmo que você não admita isso.

O efeito placebo de tomar um medicamento, um comprimido de farinha é clássico hoje. Pessoas se sentem melhor quando tomam medicamentos, mesmo esses não surtindo efeito algum.

Isso é fé nas ciências biológicas e da saúde!!!

Voltemos para o ateísmo. Entendam que caso Jesus voltasse hoje, mesmo andando sobre as nuvens, ele não seria adotado por 100% das pessoas no mundo. Não é uma questão de escolha do povo a ser salva, mas que as religiões não iriam desaparecer mesmo na presença de um evento dessa natureza.

Por outro lado, constatado que há vida sem nosso corpo, que milagres metafísicos são possíveis, isso representaria o fim do ateísmo no mundo inteiro!

Compreenderam a diferença?

Ateus e agnósticos não são pessoas organizadas no combate contra a fé. Claro, intolerância das igrejas deve ser sempre denunciada. Não é justo que queimemos pessoas em praça pública só porque elas fizeram perguntas... e não conseguimos respondê-las.

Giordano Bruno e Galileu Galilei são grandes vultos da humanidade, que foram perseguidos de forma vergonhosa pela igreja católica. Se você pensa que isso passou, pergunte ao romancista britânico Salman Rushdie. Após a publicação de seu romance “Versos Satânicos” (1989), onde o personagem da história dizia não acreditar mais no Islã... Isso foi o suficiente para o então líder do Irã, Aiatolá Ruhollah Khomeini, condenar Rushdie pelo crime de apostasia... Uma condenação à morte. Até os dias de hoje Rushdie vive no anonimato, escondido e com medo de ser assassinado por algum mulçumano.
O ateísmo no mundo ganhou força porque contou com vultos como Carl Sagan, que mesmo em seu leito de morte permaneceu cético quanto à possibilidade de vida pós-morte.
O maior frisson internacional recente foi o lançamento do livro, "Deus - Um Delírio", de Richard Dawkins. Após isso, muitos ateus literalmente saíram do armário, ora por compreenderem melhor o que eram, ora simplesmente porque viram essa coragem em outras pessoas.

Tenho amigos de várias religiões, inclusive amigos ateus. Nunca levei uma defesa de minha postura para sala de aula, respeito todos meus alunos independente de cor, raça, sexo e religião. Meus filhos possuem total liberdade para escolherem sua religião, ou ausência delas, embora a mãe deles os tenha batizado na igreja católica. Eu não fiz uma luta em casa, porque eu também fui batizado... e hoje sou ateu!

Discordo dos resultados da pesquisa de Richard Lynn (2008), na qual os scores QIs são mais altos em ateístas do que teístas. Testes de QI também foram utilizados para discriminar negros, pardos e latinos. Tanto que ficou difícil e deselegante para Lynn explicar o porquê dos scores de QIs dos ateus cubanos serem medianos. Culpar o comunismo como um sistema político que reduz QIs é tão esdrúxulo quanto afirmar o mesmo para as religiões... Há muitos comunistas e cientistas religiosos.

Por tudo isso, continuo assim... ateu. Para mim não é um palavrão, ou uma postura de revolta, foi uma escolha, porque deixei de acreditar em pontos de vista metafísicos. Recentemente, a colunista do jornal britânico The Guardian, Ariane Sherine, após ler uma ofensa que “ateus passariam a eternidade no inferno ardendo em um lago de fogo”, ela teve a idéia de divulgar o ateísmo para combater o preconceito e discriminação. Os ônibus ateus agora estão nas ruas da Inglaterra e Espanha com o apoio da Associação Humanista Britânica e de Richard Dawkins... Espero que um dia tenha a oportunidade de poder entrar em um desses ônibus. Seria um momento meu de irreverência, liberdade e dignidade, enquanto cidadão! Algo como as passeatas realizadas por Steve Biko e Nelson Mandela contra o Apartheid, onde vemos as pessoas que tanto discriminamos no dia-a-dia, sem estereótipos, apenas cidadãos e cidadãs comuns!

Não me mate, não me queime, por seu ateu. Não faça isso com outras pessoas como eu. Ateísmo não é uma postura anti-religião, é questionar e buscar respostas.
Nietzsche costumava ressaltar a cultura grega em suas obras, em especial o Deus Dionísio. De meu lado prefiro a figura mitológica de Prometeu. Esse Titã se atreveu a revelar o segredo do fogo aos humanos. Nesse mito, Prometeu foi castigado por Zeus, porque os humanos conquistaram o poder do conhecimento (o "fogo", a ciência), o qual era exclusivo dos deuses. Acorrentado no cume do Monte Cáucaso, todos os dias um abutre rasga o ventre de Prometeu e come-lhe seu fígado vivo, este se regenera e o ritual de dor perdura através do tempo sem fim.
Temos essa dádiva e, assim como Hércules, à tarefa de desacorrentar Prometeu pela liberdade que ele nos concedeu.
Por fim, encerro este post com a magnífica música da banda In Flames "Man Made God" (o humano fez deus)... é instrumental, porque o título diz tudo: (*) Animal por definição metafísica não possui alma. Discriminamos assim todos os animais, milenarmente tratamos eles como objetos desprovidos de sentimento, dor e qualquer direito à liberdade, ou mesmo à vida... Uma verdadeira vergonha!

Leiam:
Neste Blog [é só clicar]


Livros e artigos relacionados
Alper, M., 2007. A parte divina do cérebro: uma interpretação científica de deus e da espiritualidade. Editora Best Seller.

Bourguignon, A., 1990. História natural do Homem - 1. O homem imprevisto. Editora Jorge Zahar.

Damasio, AR., 1996. O erro de Descartes. Companhia das Letras.
Damasio, AR., 2000. O mistério da consciência: do corpo, e da emoção ao conhecimento de si. Companhia das Letras.
Dawkins, R., 2001. O gene egoísta. Editora Itatiaia.
Dawkins, R., 1988. O relojoeiro cego. Editora Edições 70.
Dawkins, R., 2007. Deus - Um delírio. Comanhia das Letras.
de Waal, F., 2007. Eu, primata: por que somos como somos. Companhia das Letras.
Lynn, R., Harvey, J. e Nyborg, H., 2009. Average intelligence predicts atheism rates across 137 nations. Intelligence, 37(1): 11-15.
McGrew, WC., Nishida, T. and Marchant, LF., 1996. Great ape societies. Cambridge University Press.
Sagan, C., 1996. O mundo assombrado pelos demônios: a ciência vista como uma vela no escuro. Companhia das Letras.
Sagan, C., 1998. Bilhões e bilhões: reflexões sobre vida e morte na virada do milênio. Companhia das Letras.
Stanford, CB., 2004. Como nos tornamos humanos: um estudo da evolução da espécie humana. Editora Campus-BB.
Thomas, K., 1988. O homem e o mundo natural. Companhia das Letras.
Wrangham, R. e Peterson, DE., 1998. O macho demoníaco: as origens da agressividade
Wright, R., 1996. O animal moral - Por que somos como somos: a nova ciência da psicologia evolucionista. 5 ed. Campus.

Sites
A campanha dos ônibus ateus:
The Evolutionary Advantages of Faith:
Agradecimentos:
Aos meus amigos Leon Marrocos, Hércules Florence, Darlan Reis Júnior e Breno Verissimo Gomes pelas discussões e textos que ajudaram à construção deste post.

18 comentários:

Darlan Reis disse...

É isso aí, camarada.

Seu texto serve não só como um testemunho, serve como um manifesto!

Concordo com o texto integralmente.

Só acho que podemos fazer uma propagação maior.

Saudações marxistas!

Waltécio disse...

Tentei fazer o meu melhor, camarada!

Saudações revolucionárias!!!

www.lycurgo.org disse...

Grande W.,

Seguem algumas considerações: quaisquer discriminações contra ateus devem ser abolidas, combatidas e extintas; a discriminação contra o ateu não provém da Bíblia; e entender que a postura religiosa implica discriminação contra o ateu é um entendimento falso, pelo menos da forma como vejo a questão.

É verdade que, pontualmente, há cristãos que discriminam ateus, mas não no exercício do Cristianismo. São pessoas e, como tais, trazem consigo preconceitos que, por vezes, geram discriminação.

Curiosamente, amigo, antes de ontem, enquanto almoçava na UFRN com um grupo de cinco professores colegas, houve um constrangimento: um deles, no meio de uma conversa, disse que achava que somente um débil poderia acreditar que Matusalém vivera centenas de anos. Eu disse que acreditava e que tal afirmação não era absurda pois levava em consideração a crença na existência de Deus.

O colega, então, ficou tremendamente irritado, tecendo ataques pessoais contra mim. Disse-me o colega: “sinceramente, uma pessoa que acredita nisso não deveria estar na universidade. Este não é o seu lugar, etc.”. Certamente, disse que não poderia continuar a conversa com uma pessoa que, em lugar de atacar idéias, ataca interlocutores. Disse-lhe que houve ali mais do que intolerância, houve mesmo falta de educação. Ele se irritou mais ainda...

Nem por isso, posso dizer que ateus discriminam cristãos, mesmo tendo sido naquele momento vítima de uma intolerância ateísta. É dizer, portanto, que a generalização é perigosa.

Penso também que a prova racional da existência ou inexistência de Deus não é possível. Para os que sabem de sua existência (como eu, que sou protestante), isso ocorre por experiências pessoais intransferíveis. Aliás, de acordo com a Bíblia, o homem não é a pessoa legitimada para convencer o outro da existência de Deus, mas o Espírito Santo.

Assim como penso (corrija-me se estiver errado) que não há interesse para o ateu a prova de sua crença na inexistência de Deus, já que isso não traria um claro e inquestionável melhoramento a sociedade ou da vida das pessoas.

Portanto, o importante é que todos vivamos em comunhão e amizade, com vista ao bem das pessoas e dos povos. Por isso, independente da crença ou descrença em Deus, o respeito deve prevalecer e a discriminação (qualquer que seja) deve ser extinta.

Bom foram apenas algumas considerações que peço licença para fazer neste blog, cujos textos merecem admiração pela sinceridade com que são escritos. Estou certo que ao final, isso dará um livro.

Abraço,
Lycurgo

Darlan Reis disse...

Waltécio, discordo do nobre Lycurgo.

Acredito que se os ateus trabalhassem ativamente para a superação das religiões e das crenças em deuses ou em um só deus, o mundo poderia ser melhor.

Nesse sentido, concordo com Richard Dawkins.

Abração.

www.lycurgo.org disse...

Grandes Darlan e Waltécio,

Quanto a mim, aceito o seu ponto, mesmo porque assumi que poderia estar errado no sentido de que pensava que não havia indubitável interesse dos ateus em difundir o ateísmo. Se há efetivamente tal interesse (e você parece defender que há), que o difundam, mas sempre nos parâmetros da civilidade e do respeito, assim como também devem fazer os cristãos. Apenas reitero que a discriminação é odiosa, seja ela ateísta ou religiosa, concorda?

No feriado da Semana Santa, estarei possivelmente visitando o Crato. Se estiverem por aí e tiverem algum tempo livre, poderíamos combinar para bater um papo.

Abraço,
Lycurgo

Darlan Reis disse...

Com certeza, Lycurgo.

Não se trata de jocosidade, discriminação invertida ou uso da violência.

A tarefa é inglória na quadra atual e deveras perigosa, mas como faziam os navegantes da Idade Moderna, o importante é navegar.

Os resultados serão mínimos e a religiosidade permanecerá como marca humana.

Mas o que importa é que façamos o nosso papel.


Abração.

Fatima disse...

Oi, vi que vc colocou um link para meu site (palavras sussurradas) em sua postagem. Agradeço a referência.

Li seu texto e achei sensacional! Parabéns e continue assim.

BrasilParaTodos disse...

Caro professor

por favor não deixe de corrigir a ortografia do seu texto: todas as conjugações do verbo trazer usam a letra z.

Waltécio disse...

Putz! Verdade! Como dá para notar, meus erros são crassos e realmente não cuido de ter uma boa revisão, tão pouco meus amigos lêem antes de colocar os textos no ar.

Desculpe-me e muito obrigado!!!

Waltécio disse...

Pronto, acho que corrigi todos os 'trás' equivocados.

Caso haja mais erros, por favor indicar!!!

Abraço,

W.

Manuel Fernandes disse...

Apenas uma pergunta:
Falamos de "Ateus" ou de "Agnósticos"?
O ateu é, normalmente aquele que diz não acreditar em nada (principalmente quando se fala de religião), mas se ele diz não acreditar em nada, já está acreditando em alguma coisa, logo deixa de sê-lo.

Por outro lado, o agnósticismo como atitude intelectual, tem duas vertentes. No terreno filosófico, consiste em negar qualquer possibilidade de conhecimento fora do terreno da ciência e do pensamento racional. No terreno religioso, consiste não em negar a fé ou as afirmações nela baseadas, mas em negar que essa fé e essas afirmações tenham ou possam ter suporte racional. Em ambos o casos, o pensamento agnóstico se baseia na razão, na racionalidade e no conhecimento científico. No segundo caso, ao não negar a metafísica, a fé e os fenômenos supranaturais, está, racionalmente, deixando aberta a possibilidade de aceitá-los, se e quando explicáveis pela razão (Dic.Aulete eletrônico).

De qual deles estamos falando?

Abraço a todos.

Waltécio disse...

É sobre os ateus, Manuel.

Os agnósticos são sim um tipo de ateista... embora em cima do muro. Richard Dawkins é quem descasca todos os agnósticos por causa disso!!!

Obrigado pelos comentários!!!

Abraço,

Waltécio

Anônimo disse...

Adorei o artigo sobre os ateus e vou começar a frequentar mais o blog.

Waltécio disse...

Seja bem vindo!!!

Nietsh Saramago disse...

Deixa de ser ateu e não será mais discriminado. Simples :D

Ateu adora implicar com o inevitavel.

Deus não vai deixar de existir porque vocês não acreditam nele.

Por isso as pessoas continuam a acreditar, em todas as classes, culturas e niveis escolares.

Anônimo disse...

Todos os comentarios que forema a favor do ateismo serao aprovados, os que forem contrarios, serao desaprovados porque obviamente nao sao validos.

Waltécio disse...

Nietsh Saramago e "Anônimo",

Não é fácil assim "deixe de ser ateu", porque eu não defendo ateismo. Eu perdi a fé em metafísica, ponto.

Isso também responde ao "Anônimo". Eu não tenho qualquer problema com teístas e toda crítica será publicada. A moderação é para proteger as pessoas de ataques. Na internet isso é muito comum, já que se pode fazer isso de forma "anônima" (e bastante covarde para mim).

Ameaçar pessoas apenas porque elas não acreditam naquilo que uma certa seita adotou como a verdade absoluta é prova apenas de intransigência, ignorância e, claro, preconceito.

Em particular, tomei nojo de argumentos assim: "você vai sofrer, vai se arrepender... etc., etc."

Ressalto, isso é irônico, ou sintomático? Vindo de pessoas que afirmam acreditar em um ser cósmico de AMOR ABSOLUTO e, pior, pessoas que tomaram por si, sem nenhuma prova que elas podem fazer isso, a palavra e o julgamento dessa criatura metafísica antropomórfica.

Respondo ainda:

(1) Meu problema em particular é mais profundo. Antes de ter essa certeza gnóstica, queria saber como é possível vida sem ser da forma que conhecemos. Notem que toda a definição de vida pós-morte é baseada na vida material: prazer, sentimentos, dor, individualidade (que se tem com um corpo) e, o mais importante, existência de consciência... (SEM CÉREBRO? COMO ISSO É POSSÍVEL?!).

(2) Se existir um estado da matéria consciente e com individualidade, deixem que as pessoas se entendam no pós-morte com qualquer regra, diálogo ou mesmo julgamento de seus atos. Deixem de pentelhar a vida dos outros nesta vida. Vocês não são, nem de longe, deuses ou mesmo humanos cheios de amor. Na maioria das vezes, não passam de pervesos, sádicos que adoram apontar os erros dos outros, mentirem para si próprios e ignorar a culpa de seus atos... Como alguém pode matar outra pessoa, só porque ela não concorda em seguir esse, ou aquele livro de mitologias? Mas, mesmo assim, torturaram e mataram... Ou melhor, torturam e matam em países onde hoje o Estado e uma determinada religião são um só.

Se houver vida pós-morte estarei feliz demais! Se houver um encontro com um criatura de amor, eu não tenho medo disso!!!

O problema é que nenhuma dessas histórias folclóricas fazem sentido algum para o que conhecemos hoje sobre o que é vida.

A ciência traz conhecimento, ora isso nos ajuda e conforta, ora não.

A verdade é dura e difícil de enfrentar.

Waltécio disse...

Ah! Aos que adorariam uma "cruzada" contra todas as religiões contrárias a sua e, claro, os ateus inclusos:

Se incomodem em fazer o bem de verdade. Dar exemplo de que são seres humanos inteligentes, sensíveis, tolerantes e o mais importante... OLHEM PARA O PRÓXIMO!

Sabem a história, não é?!

Pois bem, parem de encher o saco das pessoas com programas na TV onde pedem coisas da matéria e consumo capitalista ("eu quero isso, eu quero aquilo... dá-me, eu prometo isso, eu prometo aquilo"... Promessas que são barganhas de mercadorias).

Apenas no exercício de minha profissão ajudei muitas pessoas a mudarem de vida. Fiz muito mais do que muitos religiosos cheios de amor... por si próprios.

Façam algo com amor, ajudem as pessoas!

Nós vivemos em um mundo de explorados, de hiperconsumo alienado... e religião como ópio do povo!

Já que não respondem a perguntas da ciência, demonstrem nos atos que podem mudar o mundo para melhor.

Chega de fogueiras!

Chega desse inferno na Terra!

Que todos tenham paz, saúde, educação, respeito, um meio ambiente saudável... e amor!

Palavras de um ateu!

 
BlogBlogs.Com.Br